tumblr_mex8vaRz6f1qcung4o1_500

O que é API ?

API é um acrônimo para Application Programming Interface, ou Interface de Programação de Aplicação, em português. Trata-se de um conjunto de rotinas e padrões que facilitam a comunicação e troca de informações entre sistemas. Saiba mais sobre o que é API e suas principais vantagens neste guia para iniciantes.

API é um termo para designar uma interface de comunicação que um sistema oferece para que outros acessem suas funções, dados e recursos sem que o software ou plataforma externa precise saber como eles foram implementados.

Trata-se de um conjunto de rotinas e padrões muito utilizados na web para facilitar a integração entre diferentes sites e aplicativos. O Google Maps, por exemplo, fornece uma API para que outros produtos utilizem os mapas em seus serviços.

As APIs também são utilizadas em vários outros tipos de softwares. Em sistemas operacionais, por exemplo, os programadores podem utilizar recursos da API interna para criar janelas, manipular dados, entre outras funcionalidades.

Como funciona?

O desenvolvimento de uma API vai depender das necessidades do desenvolvedor ou empresa responsável. Uma API pode ser criada em várias linguagens de programação, e geralmente há uma preocupação maior para que ela não seja apenas bem desenvolvida, mas que também tenha uma documentação clara e concisa para facilitar sua implementação.

Outro fator comum entre diferentes APIs é a utilização de um formato pré-definido de dados para o compartilhamento de informações entre os sistemas, como o XML ou o YAML. Nas aplicações Web, o mais utilizado é o JSON.

Como criar um mapa personalizado no Google Maps (Imagem: Divulgação/Google)

A API do Google Maps fornece mapas e outras informações de geolocalização (Imagem: Divulgação/Google)

Para as APIs Web, existe um padrão adicional chamado REST. A palavra é um acrônimo para Representational State Transfer, algo como “Trasferência Representacional de Estado”, em português. Outro termo para esse padrão é “API RESTful”.

Trata-se de uma abstração da arquitetura da Web composta de um conjunto de princípios e regras que, quando seguidos, permitem a padronização e a criação de projetos com interfaces bem definidas. Dentre os requisitos, o mais comum é ter as solicitações gerenciadas pelo protocolo HTTP.

Principais vantagens

Uma API bem construída e documentada tem como principal vantagem oferecer uma integração simplificada dos recursos entre várias plataformas, facilitando sua manutenção e provendo uma maior segurança às regras de negócio e outras funções importantes do sistema.

Outra vantagem é a possibilidade de promover inovação em outros produtos, viabilizando parcerias e auxiliando no desenvolvimento de soluções personalizadas por terceiros que utilizam os recursos do sistema fornecedor da API – e que talvez não estivessem disponíveis de outra forma.

Com maior capacidade de controle de acesso e de volume de dados, uma mesma API pode fornecer informações para um aplicativo de celular, um programa de desktop e um site oficial, por exemplo. Isso também auxilia na redução do “trabalho manual” ao atualizar ou modificar as regras de negócio, o que pode resultar em uma economia de custos.

Android 12

Visual Novo do Android

Como flagrado nas prévias destinadas aos desenvolvedores, o Android 12 tem um grande apego à personalização. Quando você troca o papel de parede do celular, por exemplo, a cor predominante dele vai respingar sobre todo o sistema, indo desde o menu de configurações aos ícones de apps nativos.

Essa alteração acontece graças à presença do tema dinâmico (chamado pelo Google de “extração de cores”), o recurso faz parte da linguagem única de design nomeada Material You, desenvolvida através da colaboração de equipes de software, hardware e do Material Design.

A identidade trabalhou figuras e até o comportamento de alguns itens, dando destaque para a apresentação de conteúdo. Elementos do Android 12 se adequam ao tamanho da tela e dão prioridade ao fornecimento de informações, sem que isso desrespeite a personalização do usuário.

O relógio da tela de bloqueio, por exemplo, assume o tamanho maior assim que todas as notificações são dispensadas, a calculadora pode ter os resultados colocados em tamanho maior na tela, o widget da agenda cresce para não espremer os compromissos do dia e por aí vai. Na prática, a experiência com o sistema é totalmente diferente e o usuário precisará de menos toques para conferir mensagens, lembretes e a previsão do tempo.

Balões de notificações são segmentados de acordo com a finalidade do aplicativo em questão, seja para controlar a música que está tocando ou verificar as mensagens das várias plataformas que podem estar no celular. Cores distintas facilitam a visualização das informações, evitando que a seção se transforme num aglomerado de alertas pendentes.

Algo semelhante acontece com o menu de Configurações Rápidas, tradicional do Android. Na nova versão, ferramentas de uso recorrente, como: Wi-Fi, Bluetooth, tema escuro e lanterna, foram colocadas em destaque, aparecendo logo acima das notificações.

Privacidade e segurança

A apresentação do dia confirmou os rumores relacionados ao uso de recursos do celular — câmera, localização e microfone. Sempre que aplicativos acessarem esses elementos, serão dedurados na barra de notificações na parte superior, para que o usuário sempre saiba o que está acontecendo com o celular.

 

Ainda sobre restrição de acessos, as Configurações Rápidas também receberam “interruptores” que bloqueiam qualquer tentativa de acesso às câmeras ou ao microfone do aparelho, independente das permissões concedidas ao app anteriormente. A praticidade eleva o recurso ao nível dos celulares construídos com foco total em segurança, eventualmente embarcados com recurso semelhante, entretanto, diferente desses modelos, a alternativa do Android 12 é menos poderosa e não corta a energia dos componentes.

Tanto o alerta quanto o bloqueio são alguns dos braços do novo Painel de Privacidade, uma área totalmente dedicada ao controle de permissões. A partir dele, é possível conferir quais aplicativos acessaram recursos do sistema, arquivos, lista de contatos e outras áreas pessoais nas últimas 24 horas; se algo parecer estranho ou indesejado, você pode revogar permissões a partir desse espaço.

As permissões sobre o acesso à localização também receberam atenção. O usuário poderá mascarar sua posição exata com a área aproximada para o aplicativo que quiser, impedindo que o sistema libere tal informação tão delicada para qualquer app instalado.

Essa função pode não ser útil para pedir comida por delivery ou acionar caronas, mas é uma alternativa para aplicativos de previsão do tempo ou o próprio buscador do Google, que não precisam saber exatamente onde você está para funcionar.

As proteções do Private Compute Core são todas de código aberto, livres para serem estudadas pela comunidade de programadores. O Google trabalha em mais recursos de segurança e pretende lançá-los ainda este ano, mas não especificou quais seriam as futuras novidades.

Quando o Android 12 será lançado?

Por enquanto, o Google não deu novas informações quanto à disponibilidade, portanto, o antigo cronograma ainda deve valer. O período do Android Beta começa hoje (18) e está disponível para smartphones da linha Pixel e outros dispositivos. O formato final do sistema é esperado para agosto e, se tudo der certo, setembro deve marcar a estreia do Android 12.